Fase 1
Fase 2

 


Close Preço do Níquel US$/t
US$12.000/t
US$28.000/t
VPL pós-tributos
TIR pós-tributos
Fluxo de caixa livre durante o tempo de vida útil da mina
(após o payback)
Payback period
(after taxation)
CAPEX
123*A calculadora NPV acima se baseia no Estudo de Viabilidade do projeto Araguaia de níquel, incluindo os resultados da expansão
da segunda fase apresentados no relatório 43-101 e publicado no SEDAR em Dezembro de 2018

En
 
   English Português  
AIM HZM 6,45 GBX
TSX HZM 0,11 CAD
Desenvolver o projeto de níquel principal seguinte no Brasil
Araguaia and Vermelho nickel project locations, Brazil

A Horizonte está desenvolvendo seu Projeto Araguaia Níquel (Araguaia), 100% de sua propriedade, como a próxima grande mina de ferroníquel do Brasil. O Araguaia é um projeto de mineração Classe 1 com um recurso escalável de alto teor, localizado ao sul do Distrito Mineiro de Carajás, no Estado do Pará, norte do Brasil. A área possui infraestrutura bem desenvolvida, incluindo estradas, ferrovias e energia hidrelétrica, como resultado da atividade de mineração em Carajás.



O Caso Base e o Caso de Expansão da Fase 2 do Estudo de Viabilidade do Araguaia utilizam US$ 14.000 de níquel, no entanto, com base no recente preço do níquel de US$ 16.000, o VPL do projeto no Caso de Expansão da Fase 2 é de aproximadamente US$ 1 bilhão, com TIR de 30%, gerando fluxo de caixa livre de US$ 3,5 bilhões

Jeremy Martin, CEO Horizonte Minerals, agosto de 2019.


O Estudo de Viabilidade (FS) publicado em outubro de 2018 compreende uma operação de níquel laterítico em uma mina a céu aberto, que extrairá o minério a partir de diversas cavas, sendo processado em uma planta industrial de processamento metalúrgico central RKEF. O processo metalúrgico compreende um forno elétrico rotativo de linha única (RKEF) para extrair o FeNi do minério laterítico. Após um período inicial de ramp-up, a planta industrial atingirá a capacidade total de aproximadamente 900.000 toneladas de minério seco por ano para produzir 52.000 toneladas de ferroníquel contendo 14.500 toneladas de níquel, por ano. O produto FeNi será transportado por rodovia para o porto de Vila do Conde, ao norte do Estado, para venda a clientes no exterior.

A vida útil inicial da mina de 28 anos, de acordo com o Estudo de Viabilidade, gera fluxos de caixa livres pós-tributos de US $ 1,6 bilhão retornando uma TIR (Taxa Interna de Retorno) de mais de 20%, com um CAPEX inicial de US $ 443 milhões com recursos minerais suficientes para estender a vida útil da mina para além do período de 28 anos.
O Projeto foi desenhado para permitir a instalação de uma segunda planta de processamento RKEF, que dobraria a produção de FeNi do Araguaia.

O Estudo de Viabilidade confirma o Araguaia como um Projeto Classe 1, com um grande recurso escalável de alto teor, uma longa vida útil da mina e uma fonte de ferroníquel de baixo custo para a indústria de aço inoxidável. O Estudo inclui a opção para a construção futura de uma segunda linha de processo que dobraria a capacidade de produção do Araguaia de 14.500 t/a de níquel para 29.000 t/a de níquel.

A expansão do Estágio 2 dá uma vida útil de 26 anos, gerando fluxos de caixa pós-tributos de US$ 2,6 bilhões, com um VPL estimado de US$ 741 milhões e uma TIR de 23,8%, usando a estimativa de preço de níquel de US$ 14.000/t. A segunda linha será financiada pelo fluxo de caixa operacional, o que significa que o CAPEX inicial permanece no mesmo nível da Fase 1 do Estudo de Viabilidade de US$ 443 milhões.





RECURSOS E RESERVAS

O Projeto tem dois centros principais de mineração: Araguaia Sul (‘ANS’) e Araguaia Norte (‘ANN’). O ANS abrange sete depósitos: Pequizeiro, Baião, Pequizeiro Oeste, Jacutinga, Vila Oito Leste, Vila Oito Oeste e Vila Oito, enquanto o ANN abrange o depósito do Vale dos Sonhos.

Diversas sondagens foram realizadas em todo o ANP, com início em 2010. As sondagens no ANS foram realizadas pela HZM e pela Teck; a sondagem no ANN foi realizada pela Xstrata. A HZM está ativa no Projeto ANS desde a descoberta inicial em 2010. Em seguida, a Horizonte completou com sucesso a aquisição e integração das áreas do Projeto da Teck e da Xstrata, sendo a única operadora do Projeto desde 2015. Um total de 75.250 m de perfuração profunda (diamond drilling) realizou 2.627 furos para o Projeto.

Recursos Minerais

Consultores da Snowden foram contratados pela Horizonte para elaborar as seções de Reservas Minerais, Recursos Minerais e Mineração do Estudo de Viabilidade do Projeto.

Os Recursos Minerais informados para os depósitos do Projeto foram preparados por uma pessoa qualificada independente, conforme definido no NI 43-101.

Estimativas dos Recursos Minerais para os depósitos de níquel laterítico sob consideração para o Estudo de Viabilidade são mostradas na tabela abaixo. O Recurso Mineral Medido, estimado com um teor de corte de 0,90% de Ni, é de 18 Mt com um teor de 1,44% de Ni. O Recurso Mineral Indicado é de 101 Mt com um teor de 1,25% de Ni. Isto resulta em um Recurso Mineral combinado de 119 Mt a um teor de 1,27% de Ni para Recursos Minerais Medidos e Indicados com um teor de corte de 0,90% de Ni (inclusive de Reservas Minerais).

Tabela 1.1 Recursos Minerais para ANS e ANN em fevereiro de 2017, por tipo de material (corte de 0,90% de Ni)
Araguaia Categoria Tipo de Material Tonelagem (kt) Ni contidol (kt) Ni Co Fe MgO SiO2 Al2O3 Cr2O3
(%) (%) (%) (%) (%) (%) (%)
Subtotal Medido Limonito 1.232 15 1,20 0,15 37,43 2,00 17,15 11,07 2,98
Transição 6.645 116 1,75 0,07 18,89 10,20 42,06 6,59 1,29
Saprolite 10.291 130 1,27 0,03 12,03 24,08 41,24 3,95 0,87
Total Medido Todos 18.168 261 1,44 0,05 16,26 17,51 39,91 5,40 1,17
Subtotal Indicado Limonito 19.244 216 1,12 0,12 36,22 2,40 20,46 9,61 2,65
Transição 30.917 439 1,42 0,07 21,38 11,26 38,95 5,37 1,51
Saprolito 51.008 610 1,18 0,03 11,83 25,79 40,59 3,16 0,85
Total Indicado Todos 101.169 1.264 1,25 0,06 19,39 16,90 36,26 5,06 1,39
Total Medido + Indicado Todos 119.337 1.525 1,27 0,06 18,91 16,99 36,81 5,11 1,36
Subtotal Inferido Limonito 2.751 30 1,08 0,10 34,92 3,04 22,84 9,23 2,50
Transição 4.771 62 1,30 0,07 21,23 11,04 39,09 5,62 1,40
Saprolito 5.398 62 1,15 0,03 11,80 24,36 41,81 3,69 0,82
Total Inferido Todos 12.920 154 1,19 0,06 20,21 14,90 36,77 5,58 1,39

Notas:

  1. Recursos Minerais não são Reservas Minerais e não demonstram viabilidade econômica. Todos os números foram arredondados para refletir a precisão relativa da estimativa e foram usados para derivar subtotais, totais e médias ponderadas. Tais cálculos inerentemente envolvem um grau de arredondamento e, consequentemente, introduzem uma margem de erro. Onde isso ocorre, a Snowden não os considera materiais.
  2. Recursos Minerais estão informados dentro de Reservas Minerais.
  3. O padrão de relatório adotado para o relatório da estimativa de Recursos Minerais usa a terminologia, definições e diretrizes fornecidas nas Normas CIM sobre Recursos Minerais e Reservas Minerais (maio de 2014), conforme exigido pelo NI 43-101.
  4. Recursos Minerais são relatados em base 100% para todas as áreas do Projeto.
  5. A Snowden completou uma inspeção do depósito feita pelo Sr. Andy Ross FAusIMM, uma "pessoa qualificada e independente" apropriada, conforme tal termo é definido no NI 43-101.
  6. kt = mil toneladas (métricas).

Reservas Minerais

A Reserva Mineral foi estimada pela Snowden de acordo com as diretrizes do CIM (2014) e JORC (2012).

Todos os Recursos Econômicos Indicados dentro das cavas foram classificados como Reservas Prováveis e todos os Recursos Medidos da cava Pequizeiro (ANS) foram classificados como Reservas Provadas (essa classificação foi testada e apoiada pelo programa de mineração experimental concluído nesta cava em 2017). Recursos Medidos no Vale dos Sonhos (ANN) foram classificados como Reservas Prováveis. Um resumo é fornecido na tabela abaixo. A Reserva Mineral de 27,2 Mt prevê uma vida útil da mina de 28 anos com base no volume anual de minério para a planta industrial de RKEF de 900.000t/a.


Reservas Minerais da mina a céu aberto em outubro de 2018

Categoria Minério (Mt) Ni (%) Fe (%) SiO2:MgO Al2O3 (%)
Provadas 7,33 1,72 16,01 3,01 6,00
Prováveis 19,96 1,68 17,57 2,36 4,56
Total 27,29 1,69 17,15 2,52 4,94
Notas
  1. O corte varia de acordo com o depósito, dependendo principalmente da distância de deslocamento até a planta, mas a média é de 1,03% de Ni.
  2. Diluição foi modelada como parte do rebloqueio, perdas de minério aplicadas são de 8%.
  3. A Snowden completou uma inspeção do local em três ocasiões entre março de 2016 e maio de 2017 pelo Sr. Frank Blanchfield FAusIMM, uma “pessoa qualificada independente” apropriada como tal termo é definido no NI 43-101.

MINERAÇÃO

O Araguaia usará um método de mineração a céu aberto, transportando o minério de níquel para uma planta de processamento central. As cavas abertas serão rasas, com uma profundidade máxima de 30m e não será necessária a utilização de explosivos. O topsoil será estocado separadamente e as áreas mineradas serão reabilitadas.

A taxa anual de mineração chega a 3,5 Mt/ano entre os anos de produção 2 e 7, antes de reduzir para 3,0 Mt/ano para o restante do Projeto.

A mina fornece altos teores de níquel no início de sua vida útil, atingindo 2% no ano 2. O teor de Ni está acima de 1,8% na maioria dos primeiros 10 anos de produção e reduz para uma média de aproximadamente 1,6% no restante da vida útil da mina.

Como parte do Estudo de Viabilidade, um programa de mineração experimental foi concluído com sucesso, incluindo a lavra de 27.000 toneladas de material com todos os objetivos técnicos atendidos.





PROCESSO

O Projeto Araguaia Níquel utilizará uma tecnologia de processo comprovadamente de baixo risco, denominada calcinador rotativo & forno elétrico (RKEF), para produzir ferroníquel de alta qualidade para ser vendido no mercado de aço inoxidável. Hoje, o processo RKEF está em operação em mais de 40 minas em todo o mundo e responde por uma parcela significativa do níquel produzido anualmente.

A Ausenco Pty Ltd foi contratada pela Horizonte para realizar a engenharia da planta de processo para o Estudo de Viabilidade.

Um trabalho detalhado de testes metalúrgicos foi concluído com o minério do ANP. Isso incluiu o trabalho inicial de laboratório e o teste de escala de bancada levando a uma campanha piloto totalmente integrada que demonstrou o fluxograma completo do RKEF, em uma amostra representativa de 220 toneladas (úmidas) durante um período de 10 dias operando 24 horas por dia.

As principais etapas do fluxograma do RKEF estão resumidas abaixo e podem ser vistas no vídeo.

  • O minério de Run of Mine (ROM), com um teor médio de umidade de 34%, é primeiro misturado para atender aos requisitos de processamento metalúrgico e depois transportado para o estágio de britagem primária. Aqui o minério é dimensionado usando dois estágios de britagem para atender aos requisitos das etapas subsequentes. Uma estrutura para separar granulometria acima de 200 mm é usada para um primeiro dimensionamento, enquanto uma outra estrutura de 50 mm é usada para o estágio final.
  • O minério é então homogeneizado, parcialmente seco e aglomerado até um teor médio de umidade de 18% em um secador rotativo (4,5 m de diâmetro x 40 m de comprimento) e queimado com carvão pulverizado.
  • O minério seco aglomerado alimenta o calcinador rotativo com a adição de carvão redutor. No calcinador, o minério é completamente seco, calcinado para remover a umidade quimicamente combinada, e os óxidos de ferro e níquel são parcialmente pré-reduzidos. A poeira do forno é reciclada para o processo na fase de britagem primária à frente do secador / aglomerador.
  • O conteúdo calcinado é então transferido para o forno elétrico, onde uma redução adicional do níquel e parte do ferro é realizada, a fusão e a separação do metal e da escória ocorrem em alta temperatura. A escória é derramada a uma temperatura de cerca de 1.575° C, enquanto a liga metálica FeNi é derramada a uma temperatura próxima de 1.500° C.
  • Após o derramamento, o conteúdo fundido é transferido por um grande recipiente para o estágio de refino. O produto final FeNi contendo 30% de Ni é colocado em contato com água, peneirado, seco e estocado antes de ser despachado para o porto em caminhões, onde é colocado em big-bags ou carregado em contêineres marítimos para envio aos clientes.
  • A escória do forno elétrico é granulada e transferida para o depósito de escória por caminhão.

Fluxograma do Processo RKEF para o Projeto Níquel Araguaia

Araguaia Ferronickel Process Flow Sheet

ÍNDICES ECONÔMICOS

O modelo financeiro do caso base do Estudo de Viabilidade foi desenvolvido utilizando um preço fixo de níquel de US $ 14.000 / t Ni. Dois outros casos foram preparados; um usando um preço de consenso de mercado de US $ 16.800 / t Ni e outro usou a previsão de incentivo de longo prazo da Wood Mackenzie de US $ 26.450 / t Ni. Essas duas previsões adicionais de preço representam cenários positivos.

O Estudo de Viabilidade demonstra índices econômicos robustos para os 28 anos de mina, produzindo ~ 14.500 toneladas de níquel por ano.

Índices econômicos do Projeto (pós-tributos)

Item Unidade Base de preço do níquel (US$/t Ni)
Base
(14.000)
CIBC
(16.800)
Wood Mackenzie (26.450)
Geração Líquida de Caixa US$M 1.572 2.582 6.060
VPL US$M 401 740 1.906
TIR % 20,1 28,1 50,4
Preço de breakeven (VPL) Ni
US$/t 10.766 10.766 10.766
Custo C1 (Brook Hunt) US$/t 8.193 8.193 8.193
Payback years 4,2 3,3 1,8
LOM Ni recuperado kt 426 426 426
LOM Fe recuperado kt 995 995 995
Produção média de Ni a 0,9 Mt / a1 kt/a 14,5 14,5 14,5
Produção média de ferro a 0,9 Mt / a kt/a 32 32 32
Receita total US$M 5.970 7.164 11.449
Custos totais US$M 3.811 3.995 4.657
Fluxo de caixa operacional US$M 2.159 3.169 6.792
1 Média dos 28 anos iniciais de processamento

O Estudo de Viabilidade confirma o Araguaia como um Projeto Classe 1, com grande recurso escalável de alto teor, longa vida útil da mina e fonte de baixo custo de ferroníquel para a indústria de aço inoxidável. O Estudo inclui a opção para a futura construção de uma segunda linha de processo que dobraria a capacidade de produção do Araguaia, de 14.500 t/a de níquel para 29.000 t/a de níquel.

A expansão da Fase 2 proporciona vida útil de mina de 26 anos, gerando fluxos de caixa pós-tributos de US$ 2,6 bilhões, com VPL estimado de US$ 741 milhões e TIR de 23,8%, usando a estimativa de preço de níquel do caso base de US$ 14.000/t. A segunda linha será financiada pelo fluxo de caixa operacional, o que significa que o custo de CAPEX permanece no mesmo nível que na Fase 1 do Estudo de Viabilidade de US$ 443 milhões.



Estimativas de CAPEX

Um CAPEX inicial de US $ 443 milhões é estimado para o Araguaia.

Nome da área

Custos (US$‘000)

Mina

6.003

Preparação de minério

38.731

Pirometalurgia

137.518

Fornecimento de Materiais

21.413

Utilitários e Infraestrutura

106.918

Edifícios

9.095

Indiretos

82.409

Contingência

40.989

Total

443.076
CAPEX: Capital allocation for Araguaia ferronickel mineral project


A estimativa é baseada na Association for the Advancement of Cost Engineering (AACE) classe 3 com uma faixa de precisão entre -10% e + 15% do custo final de projeto (excluindo contingência) com data-base de outubro de 2018. Valores expressos em dólares americanos.

Araguaia: Custos C1

Projeto Classe 1: Baixo custo e alto teor
O Araguaia está posicionado no primeiro quartil para projetos de níquel laterítico na ‘global C1 (Brooke Hunt) Cash Cost’ (curva de custos de produção).



Araguaia ferronickel C1 Costs

Custos Operacionais

A estimativa de custo de mineração e operação (opex) foi calculada para uma operação que produz 14.749t Ni por ano. Na tabela abaixo, a estimativa é mostrada como um total anual e em US $ / t Ni, calculada como uma média do tempo de vida útil da mina.

Descrição US$/t níquel
Planta Industrial
Custos diretos
Energia $2.410
Carvão $1.620
Outros $1.348
Mão de obra $588
Subtotal - Custos diretos $5.966
Indiretos $772
Custos da mineração $1.584
Custos totais $8.322
OPEX: Mining and operating cost estimates for Araguaia ferronickel mineral project


MEIO AMBIENTE E SOCIAL

O Projeto Araguaia é um dos poucos projetos de níquel laterítico prontos para desenvolvimento em todo o mundo. O Estudo de Viabilidade define os principais aspectos ambientais e sociais do Projeto. A Horizonte obteve com sucesso a Licença de Instalação em janeiro de 2019 e a autorização de uso de água para operação em larga escala no Araguaia.

A consultoria ERM juntamente com a Integratio (social e gestão de terras) e a DBO Engenharia Ambiental (fauna) foram contratadas para realizar o trabalho para a Licença de Instalação, cobrindo os eixos ambientais e sociais. A ERM e seus parceiros, em várias disciplinas, realizaram uma série de novos estudos em 2017 e 2018, incluindo, entre outros:

  • Plano de Controle Ambiental (PCA) - elaboração e detalhamento de programas socioambientais
  • Inventários da fauna e flora
  • Modelagem de dispersão de ar
  • Monitoramento contínuo de ar, ruído e água como parte da construção da linha de base

A consultoria Brandt foi contratada para realizar novas avaliações de impacto ambiental e avançar o trabalho para obtenção das licenças para a Linha de Transmissão e para o depósito Araguaia Norte (adquirido da Glencore em 2015).

A Empresa realiza estudos de acordo com as normas brasileiras e internacionais, aplicando os Padrões de Desempenho da IFC e os Princípios do Equador aos nossos fluxos de trabalho. Estão sendo realizadas revisões por consultores independentes baseadas nas normas internacionais, como parte do trabalho de Due Diligence do pacote de financiamento em andamento para o Araguaia.